Olá,
Somos a Editora Sedição, publicamos Histórias em Quadrinhos (e livros) para mudar o mundo.

Pois é. Simples assim. ;-)

Sedição. S.f.
1. Sublevação contra qualquer autoridade constituída; Revolta; Insurreição; Motim.
2. Levantamento em massa contra a autoridade constituída. Desobediência civil.
3. POR EXTENSÃO: Perturbação da ordem pública; Desordem, Rebuliço.
4. Editora.

A EDITORA

Histórias em quadrinhos são uma forma de arte e como tal podem desafiar seus leitores e o mundo.

This is me

UM OBJETIVO: Os quadrinhos que publicamos, sem serem panfletários nem partidários, destacam-se por suas propostas políticas ou estéticas, ou por ambas. São histórias que, desavergonhadamente querem atingir corações e mudar o mundo, ainda que um gibi por vez.

Qualquer ideia diferente da completa transformação do mundo não nos interessa.

"A arte não é o espelho do mundo, é sim uma ferramenta para consertá-lo."

Vladimir Maiakóvski

Os Consumidores Selvagens e a ascensão dos palhaços

por Rubens Menezes

E se um país fosse tomado pelos palhaços?

“Os Consumidores Selvagens e a ascensão dos palhaços” é um gibi agridoce. Faz você rir. Daí, faz você pensar. Então, você começa a achar que não deveria estar rindo. Daí, você continua lendo, ri de novo, e o ciclo recomeça. É uma sátira, uma paródia sobre um país muito querido, mas muito duro de se viver. É ainda um esforço para explicar uma ideia, uma tentativa de — como a criança da fábula — gritar para todo mundo na praça: “O Rei está nu!”

É também a vontade de mudar o mundo, porque histórias em quadrinhos são uma forma de arte, e toda arte que se preze precisa tentar mudar o mundo. Porque se não tivermos mais nada, ainda vamos ter a arte e a esperança.

Não é necessário muito mais do que isso para derrotarmos os palhaços...

Próximos Lançamentos

O que vem por aí:

.

Urubus

Urubus é uma HQ de fantasia, onde um encontro inesperado altera o possível e o impossível, desafiando a ordem estabelecida e levando os personagens a alturas antes impossíveis, pelo menos para as classes mais baixas.

Mexericas

Uma história sobre um longo dia em uma escola pública. Uma reflexão, em quadrinhos, sobre o valor social da educação, sobre a escola e sobre as famílias. Um retrato da duríssima realidade da educação, em um país que para todos os efeitos práticos, não se importa com isso. E claro, sobre mexericas.

A PROPOSTA

Então a idéia é publicar só gibis?

Não. Principalmente, sim. Mas não só. A nossa proposta é construir uma editora que discorde. Que discorde da estética, que discorde da (anti)ética dominante, que discorde dos grandes consensos. Uma editora que ajude a defender valores humanistas, que nesse mundo absurdo estão ficando fora de moda. Histórias em Quadrinhos são um meio para esse fim. Didáticas, de fácil compreensão, fundindo texto e arte em uma terceira categoria, que não é só texto, nem só arte. Gibis.

Em algum momento publicaremos romances. Adoramos romances. Ficções. Ficções dos costumes, do tempo e das técnicas. Também publicaremos livros acadêmicos, o destilado de circunspectas teses que estudem como mundar o mundo. Talvez contos. Uma editora é um universo em expansão de possibilidades.

Mas isso é o futuro. No futuro seremos tudo isso. Diremos tudo isso. Tinta preta sobre papel branco, em aberta insurreição. Sedição. Mas o futuro ainda não está aqui.

Hoje, no presente, começamos com quadrinhos. Começamos com um gibi.

É um bom começo.